sábado, julho 02, 2011

Aventura do Humberto pelo Caminho Francês para Santiago de Compostela

Caminho Francês de Santiago

Escrevo no avião de regresso a casa para transmitir as emoções mais genuínas ainda sem a contaminação do quotidiano.

Esta viagem começou a ser imaginada já lá vão 3 anos, quando cheguei a Santiago de Compostela a pé e através do “Caminho Português”. Com o contacto tido com alguns peregrinos que tinham acabado de realizar o “Caminho Francês” senti logo a vontade de também o percorrer. Tinha um problema…nos próximos tempos seria impossível dispor de 30 ou 35 dias de ferias consecutivos. Aí surgiu a ideia de realizar a viagem de bicicleta. Comecei a tratar das questões logísticas. Há muito que tudo estava pronto mas só agora surgiu a oportunidade. Infelizmente ninguém quis ou pode acompanhar, e foi a maior dificuldade que encontrei, 800km em solitário foram para mim um desafio do tamanho do mundo. Com os problemas de transportes que sempre afligem os insulares decidi em boa hora alugar uma bicicleta “a peregrina” uma Massi trax vermelha sem nada de XT ou XTR mas muito resistente só perdeu um parafuso do suporte dos alforges quando descia uns degraus. Fita plástica no lugar do parafuso e força no pedal…

Atado pelo escasso tempo de ferias que dispunha tive de fazer o caminho em 9 dias mais 2 para a viagem de ida e outros 2 para a de regresso.

Pelas 07:55h do dia 19/06/2011 lá parti de Roncesvalles desafiando montes e vales estradões e single tracks, vacas,ovelhas e trânsito de cidade ou seja de tudo um pouco. Pedalar com alforges foi também uma experiência nova e transforma tudo aquilo que estamos habituados a bike fica muito pesada (23Kg bike+alforges) e é difícil pedalar de pé. O dia a dia além de estar muitas horas em cima da bicicleta (6 ou 7) era necessário encontrar um albergue para pernoitar, lavar o corpo a roupa, olear a “peregrina” preparar a etapa seguinte comprando o pequeno almoço e lendo o guia, vendo os mapas, preparar o “dopping” e lá chegava a hora de jantar e de falar um pouco com os outros com quem partilhávamos o albergue. Os dias foram decorrendo sempre com as saudações diárias de alento e de “buon camino” quando cruzava-me com outros peregrinos. O percurso apresentava sempre muitas dificuldades ou eram planos intermináveis e sufocantes de fazer só, ou montanhas que me faziam ter saudades da subida ao estreito, tudo isto sobe um calor tórrido, que pelas 13h chegava aos 40º…

Dia 27/06 ás 12:31h cheguei a Santiago de Compostela foi um momento de emoções muito fortes e contraditórias, quando parei a “peregrina” na Praça do Lougradoiro e olhei a catedral soltaram-se as lágrimas que condensavam os momentos agradáveis e os não tanto, vividos ao longos dos dias de esforço, mas com a satisfação de dever cumprido sentia-me em paz e em tranquilidade.

Os dias em Santiago são sempre muito agradáveis estão sempre a acontecer coisas nesta cidade. Por fim uma referencia de apreço à Stefanie uma alemã que pedalou comigo durante uma manhã nas intermináveis planícies de Leon, ao espanhol Carlos que nos Montes Oca me transmitiu grandes ensinamentos sobre o “Camino”e a sua magia. A portuguesa Tania que conheci no primeiro dia e que por esta hora ainda não completou metade do trajecto a pé. Aos italianos Emanuele e ao seu pai Paulo que me acompanharam ao longo de dois dias muito duros e que acabei por perde-los na subida ao Cebreiro e não voltei a reencontra-los. Ao Ismael de Madrid e ao Juan de Santader que fizeram comigo os kms finais e compartilharam a emoção da chegada, e outros e outros… Certamente em breve esquecerei os nomes e as caras destas pessoas, mas jamais, o seu apoio, amizade e companhia serão por mim olvidados.

Se puderem experimentem e “Buon Camino”

Humberto Freitas


A chegada..
Alto del Perdon...
Um rio...
O fim a recta...
Amanhecer tranquilo...
Um dos centenas de monumentos...



Fica aqui o compromisso de podermos acompanhar a aventura do Humberto pelo Caminho Francês para Santiago de Compostela.
Este sítio "postal" servirá como uma espécie de diário (sem rigidez temporal), onde poderemos encontrar o seu testemunho, e experiência, tanto em termos de logística, física e performances.
São estas as aventuras que os Bravas têm orgulho de partilhar aos seus leitores, despertando esperando nós, a vontade de quiçá um dia partir também na peregrinação (sentida ou não) a Compostela.

A bicicleta preparada para o efeito para a longa viagem.

O trajecto definido e bem delineado (logística importante para o sucesso desta aventura)

PARABÉNS!!!!


10 comentários:

Qüer uma Corratec disse...

Boa sorte Humberto!

Helder Perneta disse...

Boa sorte e boas pedaladas Humberto. Aguardamos os comentários da tua aventura. Desejo que corra tudo bem. Força aventureiro.

Nicolau disse...

Boa sorte Humberto!

Carlos Oliveira disse...

Excelente descrição da tua aventura. Sem dúvida uma experiência enriquecedora e inesquecível, capaz de pôr a maioria dos audazes com vontade de também experimentar.
Parabéns!

Carlos disse...

Isto é que é uma verdadeira grande aventura BTT.

Parabens Humberto.

Pascal disse...

Espírito BravaBTT no seu apogeu!
Delicioso, um regalo emocional, uma pulsão bttiana!
Fonix! Que inveja!!!

Miguel Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel Ferreira disse...

Parabéns Humberto ,grande espírito e boa disposição como a tua, fases isso na boa . Um grande abraço amigo .

ProntoP´raMaisTombos disse...

Espectacular aventura, e só tenho uma coisa a dizer "Que inveja", no bom sentido é claro, tenho de participar numa aventura dessas num futuro próximo. Forte abraço

Machado disse...

Grande aventura... Parabéns pelo alcançado. Abraço