domingo, maio 29, 2011

Track de hoje com fotografias :)

Aqui vai o link do track de hoje com as fotos que podem visualizar no seguinte link:

http://www.trimbleoutdoors.com/ViewTrip/1136558

sexta-feira, maio 27, 2011

Primeiro passeio brava-COLDFLAME-ENDURO

Dia 29 de Maio de 2011 - DOMINGO
Local de encontro: Estádio da Madeira
Hora: 8:30
Saída: 8:45

Percurso: Choupana - Levada da Serra - Meia Serra - Levada da Serra - Choupana
Distância estimada: 53 Km, maioritariamente planos

Um passeio bem planeado é sempre um passeio para ter balanço positivo!
Foram 18 atletas, que aceitaram o convite da colflame btt, nova loja no centromar, e percorreram os trilhos da zona do campo do nacional.
Tal era o tamanho do comboio, que a levada até tremeu, fazendo-nos uma vénia ao oferecer um tempo soalheiro.
A loja está de parabéns, ofereceu-nos o café e um power balance como brinde! Deu jeito aos que não caíram, aqueles que secumbiram ao cerro, deverão usar outro no braço contrário!
Os grupos de turistas sorriram ao ver tanta malta bem disposta a passar, com a cagança de quem monta a melhor bike do mundo! Todos nós brilhamos e tenho a certeza que contribuimos para uma excelente imagem da Madeira!
Resta agora esperar por outro passeio!

A todos um XTRABRAÇÃO!












quarta-feira, maio 25, 2011

Trilhos para descobrir!
Na zona alta dos Canhas (encostado numa cota muito superior ao Luiggi-trail).

domingo, maio 15, 2011

panorâmica_portalegre 40 minutos antes de partir

clicar sobre a imagem

Portalegre 2011

Findado uma semana, posto o serviço em dia e regressado à rotina, está na hora do balanço, de relembrar os profundos e sentidos momentos; e assim testemunhar a festa do btt nacional.
Como qualquer projecto com balanço positivo, deve-se começar pelos agradecimentos, que sem querer fazem lembrar os Óscares: Queremos agradecer a simpatia, a gentileza e a sensibilidade da família Roque, de Portalegre, que nos recebeu gentilmente, nos acarinhou e nos proporcionou um acolhimento sem comparação possível, o pequeno almoço do outro mundo, um jantar digno apenas dos Deuses Olímpicos. Aquelas massas ficaram registadas no cérebro, na parte destinada a gastronomia, como a excelência das massas. Ficamos todos com a certeza que o melhor chef de cozinha, estrelado pela Michelin, coraria de vergonha perante tal iguaria!".
As nossas famílias, que por uns dias abdicaram da nossa companhia, torcendo para que todos voltássemos inteiros, sem mazelas e com muitas histórias para contar!
Aos amigos bttistas que partilharam este sonho, que treinaram juntamente connosco, dando-nos dicas, opiniões, e força para superar as adversidades dos treinos, o cansaço, as intempéries, os bons e os maus momentos! Aqueles que pondo de parte a competitividade, acreditam que o espírito do btt não se limita apenas à estar a frente ou atrás, mas sim na capacidade e na força de se suplantar a si mesmo, aproveitando o mais belo da natureza!
Por fim, ao Bruno, dono de um agradável bar em Queluz, que gentilmente emprestou uma bicicleta ao Nicolau, que em todo respira o Btt (Bikes e revistas num bar não é muito comum).
(Já ultrapassamos os 5 minutos máximos para agradecimentos, devemos terminar caso contrário passam para a publicidade cortando-nos a palavra!)

Agora é hora de testemunhar, aquela que é para muitos a Meca do btt nacional.
Foi sem dúvida um fim de semana cansativo; logística, viagem e noites mal dormidas, devido a excitação de tão memorável evento e do humor contagioso do Nicolau, que não deixou ninguém em paz 5 minutos. O acolhimento e o calor humano recebido em Portalegre, ajudou-nos em muito a adaptação!
Com a ultima revisão feita, lá estávamos prontos para arrancar. Os estômagos aconchegados, devido a um pequeno almoço divinal, rendeu-nos até à meta. As barras ficaram na mochila, os geles power "légs" ficaram longe de esgotar, essencialmente devido à prepararação dos participantes e as características do percurso, que da opinião de muitos bttistas foi das mais fáceis, apesar de ter mais kms. Percorremos trilhos menos perigosos e menos exigentes em termos técnicos que os anos anteriores. Para os entendidos são os ingredientes importantes para que o balanço final seja na opinião da grande maioria positivo.
Aproveitamos aqui para agradecer a organização, pelo seu profissionalismo e amabilidade. Em todas as zonas de abastecimento estava gente sorridente com palavras de incentivo, que ajudavam todos os que paravam, no que fosse preciso (não faltaram pneus furados, correntes partidas, bicicletas rachadas, mudanças desafinadas e selins contorcidos); isto faz parte da maratona, isto é o espírito do btt na sua máxima, isto é o btt!.
Trocar impressões com os atletas que cruzavam connosco, falar de bicicletas, marcas e experiências, foram o mote das conversas em todo o percurso. Percorrer km após km, acompanhado de pessoas bem dispostas, animadas pelo convívio, pela solidariedade, que paravam para ajudar quem necessitasse, dá a esta maratona uma magia que muitas outras anseiam (Um abraço ao Marco de Benfica "meridamen" e outro ao Nuno do Porto)!
Tudo isto faz parte! Sem isso não havia esta mística à volta de Portalegre.

Ficam aqui algumas fotos, de muitas, do grupo que muito singelamente faz a vénia a esta maratona.
Por fim, um grande abraço ao Nélio e ao Quaresma que muito gentilmente se disponibilizaram para nos ajudar na logística! Sem eles isto teria sido mais difícil, aguardamos-vos nos nossos futuros passeios!
Runas Bar

Nicolau photo-comics-reporter
"biclas" estacionadas à sombra que ao sol as borrachas derretem
Acampamento no recinto para o efeito!
Muitos já pedalavam a fazer o reconhecimento.
Esperando pelo Nélio e pelo Quaresma, pensando no dia seguinte!
A Scott que aguentou uns valentes Nicoforças!
Não partiu a corrente, nem furou!
"Los temerários", felizes por participarem na festa!
"Los prós", guardando lugar para a partida!
"Otros prós" aquecendo antes do arranque!
"Saladinha mista de bicicletas"
cerca de 4000 mil bikes, inscritos e convidados com valor médio estimado em 2000 euros cada uma, dá um valor total de 8 milhões de euros, contados e recontados várias vezes!
Se o FMI sabe disso, faz uma hipoteca a zona do km 0 da Maratona.
A concentração!
Alameda multimilhonária do km 0!
A vedeta no seu descanso
O repouso...
O balanço!
Sensação de dever cumprido, os objectivos pessoais de cada um foram cumpridos, agora resta sonhar com a próxima!

A máquina que sobreviveu as Nicoforças!
A Mééééé...
(A Mérida não participou aquando da primeira vez deste cromo, mas estava pronta ao cabo de 5 anos para superar os 106 kms)
Lavagem e desmontagem das máquinas...
Todas elas portaram-se bem!
Os seus atletas geriram de forma exemplar o esforço, a técnica e a maquinaria.

Troca de impressões e das experiências vividas!
Foram muitas! Tínhamos conversa para muitas horas!
Fica para um almoço a combinar um dia desses...
Homenagem ao verdadeiro 14098 (Eduardo Teles), que gentilmente cedeu a sua inscrição ao Nicolau, para que esse pudesse participar nesta festa!
O orgulho era tanto, a cagança também! Fizemos o regresso com os frontais no "tablier" como que a dizer aos outros condutores das estradas de Portugal: Estivemos em Protalegre!

No dia seguinte, fomos a Tapada de Mafra!
Ver o Raid dentro da Tapada!
Uma outra realidade que nós na Madeira não temos o privilégio de partilhar.
Sem dúvida, no continente as coisas acontecem anos luz a nossa frente (imaginem na Espanha ou na Suissa).
Aproveitamos para ver o Ricardo da Movefree! Encomendar umas bikes para o próximo ano,
quiçá uma "twenty nine"!
Ps: reparem no caminhão Specialized no fundo!
Actividades de entretenimento para os acompanhantes dos Bttistas.
Chegada dos primeiros!
Sem stress!
O que interessa é curtir a natureza!
Mais haveria a dizer, mais haveria a mostrar! Fica por aqui o nosso testemunho!

PS: Quero voltar a agradecer ao Sr João a sua hospitalidade e a toda a sua família; a sua massa a "Oliver" fica como o EPICENTRO da minha história deste Portalegre, não interessam tempos nem classificação quando temos o privilégio de conhecer tão simpática pessoa. Um grande e saudoso abraço!


terça-feira, maio 10, 2011

Imagem vale por mil palavras!!!!






Eu sou um grande apaixonado por cavalos e aquando da visualizaçao desta foto e sabendo que existe corridas de cavalos em que factor principal é resistencia e força.



Reflete imagem de algumas pessoas

segunda-feira, maio 09, 2011

14 de maio de 2011 Humberto Trail's

Passeio: "Deixa-te de coisas e vem pedalar!"

Local de encontro: Portão sul
Hora: 8:45

Nivél Técnico: 4 (1..5)
Nivél fisico: 4 Nicolaus

Confirmações até às 23 horas

terça-feira, maio 03, 2011

segunda-feira, maio 02, 2011

"Portalegre 2011" A FESTA DO BTT NACIONAL!

altimetria
track



No passado sábado fizemos aquele que foi o derradeiro esforço, o último trabalho de casa, para preparação da mítica Portalegre. Foram mais de 100 km, com uma acumulado superior a 2500 metros. Nunca tão poucos fizeram tão depressa, dentro do que nos foi possível pedalar, tanto acumulado! O Km 40 acusava já mais de 2000 m e litradas de suor! Depois de aquecer pela Candelaria acima, deparamos-nos com um Lombo do Mouro, inacessível às bikes. Foram 4 kms em ciclomarcha, pois a lama era tanta que a roda pura e simplesmente não rolava. Levá-la à mão era um suplício, uma tortura... Com ela às costas era desumano, devido ao peso excessivo! A lama, do tipo barro, acumulou-se em tudo o que era partes da bicicleta. Não havia, borracha, carbono ou alumínio à vista.






Por momentos avistamos o preto da catana (o Nicolau de tanto limpar a cannondale, só se sujava ainda mais, ficou preto cor de "burro quando foge", saiam palavrões a cada 25 metros; as típicas piadas desapareceram à medida que a lama lhe ia subindo pernas acima).






Chegados ao Jogo da bola, reunião para redefinir estratégia e percurso. O Camacho, com a sua paciência teve de regressar, sem o seu treino completado, trabalho assim o abriga.






O resto, partiu calçada acima, tentando contornar o lamaçal deixado pelos madeireiros que aos poucos nos estão a roubar a beleza do trilho. No planalto, mais surpresas nos iriam colorir o treino. Mais uma vez o Paúl fez das suas! Deu-nos granizo, nevoeiro e relâmpagos de afugentar os caça-tornados, as pás das torres eólicas, partidas nos chão não eram uma boa premonição! A trovoada, como a avisar o apocalipse; ou brincadeira de Zeus após digestiva flatulência de feijão com grão; deixou-nos em alerta, obrigando-nos a encurtar o percurso inicial.






Reagrupamos congelados no Jungle Rain, em hipotermia leve, com sensação de frio, tremores e espasmos musculares. A pele estava fria e as extremidades do corpo apresentavam uma tonalidade levemente arroxeada, estávamos numa confusão mental, os tremeliques não deixavam o copo de leite, extremamente quente, com quantidades enormes de chocolate chegar a boca e por consequência descer pelo "gargurelo" e assim aquecer tudo o quanto tinha mingado, ou até mesmo sumido. Chocolate quente atrás de chocolate quente, lá fomos recuperando o ânimo (16 euros de chocolates quentes ressuscitaria as tropas de Napoleão, no império Russo e a historia mundial seria diferente).






O sol lá apareceu! Deixando-nos felizes, permitindo-nos percorrer os restantes kms até a "Autoban". Percorremos os trilhos da Fonte do Bispo, Chão das Vacas e a descida da Panela de Pressão, sorridentes; abraçados pelos tão aprazíveis raios solares, que muito timidamente nos iam aquecendo a alma.






Paragem para Empanadas e salgadinhos de salsicha, autenticas barras "ultra-hard-extra-power-legs-for-marathon", para nos ajudar a percorrer os kms finais de ligação até a Ribeira Brava. Depois do snack o Nicolau pedalou sem parar, subiu e desceu "Lombos", tipo Tintin-foguete "et l´objectif lune".






Por fim, e após 10 horas de "BTTada", chegamos aos carros, com a sensação de objectivo cumprido.Tenho a certeza que todos nós nos lembraremos, aquando Portalegre, deste treininho! Esperamos que os 106 km que se avizinham sejam manteiga comparado com a épica aventura MTB de sábado passado.























"Mozart" ao cabo de 80 km de lama















video






(colocar o som alto e usufrua de uma autêntica sinfonia, ao nível da maior orquestra mundial de música clássica).
















02 de Maio






pascal


















Nesta experiência, todos os pequenos passos contam, sendo cada uma na sua razão de ser, de extrema importância.





Para tal, necessito de identificar este capítulo desta epopeia; gostaria de-lhe chamar "Portalegre sim, mas há muito mais!".





Sim, treinar é bom, pedalar e superar-nos a cada curva a cada km percorrido, cada km sofrido.





Mas há mais, sim muito mais! Portalegre não pode ficar como uma maratona onde se pretende chegar de um ponto A ao ponto B o mais rápido possível, e assim pertencer ao grupo dos 100, dos 200, dos 300 ou dos 500 "pernudos" que com todo o mérito irão preencher a grelha de chegada, tendo isso como tema de conversa para mais um ano; à espera de mais uma prova de esforço e voltar a tão prestigiado ranking.





Hoje pedalei no sentido de preparar e melhorar a aptidão física com uns bttistas, que não conhecia, mas que há muito preenchem o panorama Bttista da região, com experiências espantosas e exímia cultura "MTB", e que como eu se preparam para percorrer os trilhos alentejanos.





Pedalada atrás de pedalada, conversa após conversa voltei a encontrar o meu propósito nestas andanças. Afinal há mais que Portalegre!





Há o "espírito" Btt, ou como diria Lauro António "The true bttspirite"; verdadeiro alicerce desportivo, que está nagénese deste desporto. Afinal, e na minha perspectiva pessoal, só estamos como refere "Freud", a recalcar emoções primitivas. Todos nós pertencemos a uma geração, que de uma forma ou de outra, começou a pedalar enquanto criança, sentindo-se livre logo ao virar da esquina; todos nós tivemos uma bmx, a pasteleira do pai ou a bicicleta do primo, para nem que seja por um par de horas semanais, esticar as pernas (sempre com os trabalhos de casa feitos).





E agora passados umas décadas o que fazemos horas a fio, rangendo os dentes, com as horas a passar, e os nossos compromissos cada vez mais adiados, com o rolo da massa cada vez mais perto das costas? Não estaremos apenas a reviver todas essas emoções, todas essas pulsões (Levi Strauss)?





Portalegre sim, mas há muito mais!











Levaram-me do Funchal para o Garajau e do Garajau ao Funchal, para depois subir o Estreito, Cabo Girão e por fim a tão estimada Trompica, finalizando finalmente no Funchal.











22 de Abril de 2011























Falta exactamente um mês!





Este espaço ficará reservado para testemunhar e relatar todas as vivências nesta aventura em que me meti "Portalegre 2011".





Para muitos é mais uma prova, para mim uma epopeia "Bttiana", onde me procurarei conhecer mais um pouco, relaxar do stress de um ano de "work" e participar em mais um convívio "bttista".





Quero assim dar um contributo, para aqueles que para o ano terão vontade de participar naquela que é já reconhecida como a "meca" do Btt nacional, Portalegre Selenis Btt.











Em Janeiro procedi à inscrição online, no meu caso deram-me o número da minha primeira inscrição. Fiz logo a reserva do voo para a ante-véspera da prova, afim de me dar tempo para chegar a Portalegre (inscrição+ voo ida e volta 80 euros).





A inscrição ficou nos 40 euros para a maratona de 100km.





Tive direito ao frontal e ao chip para colocar no capacete da prova deste ano.






De uma t-shirt sportzone






De um pirata da sportzone






Do Jersey da marca GSG






Este ano escolhi um tamanho acima do meu, pois isto de andar com a lycra apertadinha e a barriga de fora não é a minha onda!






E de mais uns vales de compra no valor de 25 euros e de uma senha para o almoço, que desde já aguardo impacientemente!











Agora, resta-me começar a treinar um pouco com mais afinco, para no dia não doer demasiado.




Levarei a máquina "foto" para fazer a reportagem do acontecimento e relatar todas as experiências vividas.





Espero poder desmistificar toda a logística inerente à ida para uma maratona desta envergadura, e assim ajudar à que mais Bravas se inscrevam nesta que á para mim uma maratona idílica.










pascal